Planeta Terra: Aula 2 – Dinossauros e seus habitats

Barbara Poletto

OBJETIVOS

Apresentar as principais espécies de dinossauros que já existiram, relacionar suas estruturas corporais com seus habitats, modo de vida e curiosidades sobre um dos maiores seres vivos que já existiram na Terra.

MATERIAIS NECESSÁRIOS

  • Lápis de cor / Lápis grafite
  • Folha Sulfite ou de caderno

ROTEIRO DA AULA

Introduzir o assunto perguntando se as crianças já ouviram falar dos dinossauros e quais elas conhecem. Intercalar perguntas feitas às crianças e a resposta delas com explicações e conteúdo:

Os dinossauros constituem um grupo de diversos animais que surgiram há pelo menos 233 milhões de anos atrás, e foram dominantes na Terra por mais de 167 milhões de anos.

“Como surgiram os dinossauros?”

Os registros mais antigos confirmados de dinossauros são provenientes de rochas do Triássico, com aproximadamente 230 milhões de anos. Os depósitos principais estão situados na Argentina (Formação Ischigualasto) e no Brasil (Formação Santa Maria). A origem dos dinossauros provavelmente se deu na parte sul do supercontinente Pangeia, talvez no Brasil ou na Argentina.
Pesquisas apontam que os dinossauros se desenvolveram a partir de animais relativamente pequenos, presentes em ambientes terrestres há aproximadamente 233 milhões de anos. Existem duas hipóteses concorrentes: esses ‘protodinossauros’ poderiam ser formas bípedes, ou formas que se locomoviam sobre as quatro patas.

Como era o planeta quando eles existiam?”

Todos os continentes da Terra estavam conectados em uma única e gigantesca massa de terra (conhecida como Pangeia) cercada por um enorme oceano.

 

    Fonte: Dr. Ronald Blakey, Universidade do Norte do Arizona

A Pangeia começou a se separar em continentes durante o período Jurássico inicial (cerca de 200 milhões de anos atrás), e os dinossauros teriam visto grandes mudanças no mundo em que viveram ao longo de sua existência.

 

       Fonte: Dr. Ronald Blakey, Universidade do Norte do Arizona

A fragmentação da Pangeia impactou todo o planeta e os seres que o habitavam. Surgiram mares e o clima foi modificado. Plantas como samambaias e coníferas passaram a colonizar antigas regiões secas e desérticas. Nesse período também surgiram as primeiras plantas com flores.

 

  Fonte: Smithsonian Magazine, 2019.

Fonte: Smithsonian Insider, 2009.

“Como eram os dinossauros fisicamente? ”

São considerados dinossauros, todos os animais presentes no clado Dinosauria e suas subdivisões, as ordens Ornithischia e Saurischia. A classificação dos dinossauros leva em consideração, principalmente, características físicas compartilhadas entre os animais. Os membros da ordem Ornithischia são caracterizados pelo focinho em forma de bico, e a estrutura da pélvis que se assemelha à de aves atuais. Os membros da ordem Saurischia são caracterizados pela estrutura da pélvis mais semelhante à de lagartos.

Apesar dessas características em comum que agrupam todas as espécies, os dinossauros apresentavam uma grande diversidade de características, tendo existindo espécies gigantes, com dezenas de metros e toneladas de peso, e espécies bem pequenas, com centímetros de altura e algumas gramas de peso.

As características físicas de cada espécie também nos dão dicas de qual era o modo de vida do animal e até do tipo de habitat que viviam. Dinossauros com pescoços longos poderiam ser herbívoros, pois conseguiam se alimentar de folhas no topo das árvores; Dinossauros com dentes pontiagudos poderiam ser carnívoros, e seus dentes ajudavam a rasgar a carne da presa com maior facilidade.

Principais espécies de dinossauros e suas características:

Tiranossauro Rex

 

Fonte: Illustration by Beth Zaiken, The Royal Saskatchewan Museum

  • Hábito alimentar: carnívoro
  • Altura: 4 metros
  • Comprimento: 12 metros
  • Peso: até 9 toneladas
  • Onde vivia: América do Norte

O T. rex foi um carnívoro bípede com um crânio cilíndrico e uma grossa e musculosa cauda. Suas pernas eram longas e musculosas, mas seus braços eram extremamente curtos e finos, além desses animais também possuírem três dedos ao fim de cada perna e dois dedos nos braços. Estima-se também que suas musculosas pernas permitiam que o animal atingisse uma velocidade superior a quarenta quilômetros por hora em uma corrida livre. 

Braquiossauro

Fonte: Joe Tucciarone/Science Photo Library/Getty Images

  • Hábito alimentar: herbívoro
  • Altura: 12 metros
  • Comprimento: 23 metros
  • Peso: até 80 toneladas
  • Onde vivia: Europa, América do Norte e África

Um dos maiores dinossauros que já existiram. Mesmo apresentando um pescoço bem longo, seu nome significa “lagarto braço”, referenciando sua característica mais marcante: suas patas dianteiras eram mais longas que as patas traseiras. 

Velociraptor

Fonte: RikoBest / Shutterstock.com

  • Hábito alimentar: carnívoro
  • Altura: 0,5 metro
  • Comprimento: 2 metros
  • Peso: até 15 quilos
  • Onde vivia: China

Estudos indicam que os velociraptors eram pouco maiores que uma galinha, e que eles tinham penas! Eles eram carnívoros bípedes, emplumados com uma longa cauda e uma garra em forma de foice em cada pata traseira.

Brontossauro

Fonte: Getty Images

  • Hábito alimentar: herbívoro
  • Altura: 4,5 metros
  • Comprimento: 22 metros
  • Peso: até 40 toneladas
  • Onde vivia: América do Norte

O brontossauro é da mesma família do braquiossauro, os saurópodes. Pescoços longos, crânios pequenos em relação ao corpo, os mesmos hábitos alimentares, tamanho parecido e as quatro patas indicam parentesco entre eles.
O pescoço longo servia para buscar folhas nos galhos mais altos das árvores, tal como fazem as girafas.

Tricerátops

Fonte: Mark Rehkopf

  • Hábito alimentar: herbívoro
  • Altura: 2 metros
  • Comprimento: 9 metros
  • Peso: até 5 toneladas
  • Onde vivia: América do Norte

O Triceratops viveu até os últimos instantes dos dinossauros, há 65.5 milhões de anos e foi o maior dinossauro com chifres que já existiu. Os tricerátops usavam seus três chifres para brigar com outros dinossauros. Feito de ossos, o “escudo” que ele tinha no pescoço funcionava como uma armadura, protegendo-o de possíveis ataques.

Pterodáctilo

Fonte: Science Photo Library – Mark Garlick/Getty Images

  • Hábito alimentar: carnívoro
  • Envergadura: 1 metro
  • Comprimento: 30 centímetros
  • Peso: até 2 quilos
  • Onde vivia: em todo o mundo

Apesar de ser o mais famoso dentre os “dinossauros voadores”, o pterodáctilo não era bem um dinossauro. Ele era um réptil pteurossauro voador que viveu na mesma época dos dinos, há mais ou menos 150 milhões de anos.
Os pterodáctilos tinham bicos longos mas ao contrário das aves, não tinham penas, e suas asas eram parecidas com as dos morcegos. Andavam sobre quatro patas no chão, e planavam no céu, como uma asa-delta. Se alimentavam basicamente de peixes e pequenos animais.

Espinossauro

Fonte: Smithsonian Magazine

  • Hábito alimentar: carnívoro
  • Altura: 5 metros
  • Comprimento: 15 metros
  • Peso: até 7,5 toneladas
  • Onde vivia: Norte da África

Podia andar sobre duas ou quatro patas, possuía garras curvas e dentes de formato cônico e afiadíssimos. Também podia nadar como um crocodilo, pois as pequenas narinas que ele tinha no meio crânio lhe permitiam respirar mesmo com parte da cabeça submersa.

Alossauro

Fonte: IDNTimes

  • Hábito alimentar: carnívoro
  • Altura: 4,5 metros
  • Comprimento: 12 metros
  • Peso: até 2 toneladas
  • Onde vivia: principalmente nos EUA

Apresentavam mandíbulas implacáveis que caçavam inclusive dinossauros de outras espécies. Apesar de seu tamanho, os Alossauros eram mais rápidos que outros predadores de sua época. Suas patas dianteiras eram grandes com garras bem afiadas.

Estegossauro

Fonte: WarPaintCobra, Istock Via Getty Images

  • Hábito alimentar: herbívoro
  • Altura: 3 metros
  • Comprimento: 6,5 metros
  • Peso: até 2 toneladas
  • Onde vivia: América do Norte e Europa

Quadrúpedes, só se alimentavam de vegetais. Andavam em bandos e possuíam uma espécie de “armadura natural”, placas ósseas enfileiradas ao longo de sua espinha dorsal, que originou seu nome, que significa “lagarto telhado”. Haviam também espigões na cauda, usados para se proteger de predadores.


Diplodoco

Fonte: Dmitry Bogdanov

  • Hábito alimentar: herbívoro
  • Altura: 5 metros
  • Comprimento: 30 metros
  • Peso: até 15 toneladas
  • Onde vivia: América do Norte

Usava seu longo pescoço para buscar folhas nas copas das árvores, embora também se alimentassem de vegetação rasteira e aquática. Uma de suas características mais marcantes além do pescoço, era a cauda, que chegava a medir mais da metade do seu comprimento total. A cauda do diplodoco ficava suspensa quando o animal estava de pé e podia servir para dar “chicotadas” nos predadores.

Anquilossauro

Fonte: Craig Shoji

  • Hábito alimentar: herbívoro
  • Altura: 1,80 metro
  • Comprimento: 6 metros
  • Peso: até 9 toneladas
  • Onde vivia: América do Norte

Costumavam habitar áreas cheias de vegetação baixa, onde pudesse encontrar comida em abundância. Placas ósseas sobre as costas parecidas com as do estegossauro. Essas placas formavam uma carapaça que o protegia contra ataques. Traziam também uma espécie de porrete na ponta da cauda, que servia para afugentar predadores. 

“Como é possível descobrir como eram os dinossauros, depois de tanto tempo extintos?”

Os fósseis de dinossauros encontrados até o momento permitiram aos paleontólogos definir características e encaixar esses animais na classificação dos seres vivos. Do latim fossilis (tirado da terra) os vestígios deixados pelos dinossauros podem ser ossos, dentes, pegadas impressas em rochas, fezes petrificadas, penas, entre outros. As características físicas dos dinossauros podem ser estimadas através desses achados e reproduzidas por ilustrações ou animações digitais.

Ovo fossilizado da espécie de dinossauro Citipati osmolskae:

Fonte: American Museum of Natural History, 2006 

“Como foram extintos?”


A hipótese mais aceita diz que no final do período Cretáceo (cerca de 66 milhões de anos atrás), a extinção em massa de quase todos os dinossauros foi causada pelo impacto de um asteróide (encontrado na Cratera de Chicxulub, na Península de Iucatã), que carbonizou bilhões de animais, causou tsunamis, criou uma nuvem de poeira que bloqueou a luz do sol por anos e baixou drasticamente a temperatura do planeta, eliminando plantas, herbívoros, boa parte dos carnívoros por falta de alimento e quase todas as espécies existentes de dinossauros, ficando apenas espécies pequenas e emplumadas: as aves.

Fonte: Smithsonian Magazine

ATIVIDADE DE VERIFICAÇÃO

Agora que as crianças já conhecem algumas características e habitats dos dinossauros, peça para escolherem entre características mais marcantes como carnívoro ou herbívoro e bípede ou quadrúpede, e que desenhem o dinossauro e seu habitat com detalhes que demonstrem essa escolha (como pescoço longo para herbívoros alcançarem as árvores ou dentes bem afiados para carnívoros prenderem suas presas, por exemplo). Desenhar também como eles imaginam o habitat em que viviam os dinossauros e suas presas/alimentos.

INFORMAÇÕES EXTRAS PARA PROFESSORES

Curiosidades

  • A palavra “dinossauro” foi inventada em 1842 pelo paleontólogo Richard Owen, e significa “lagarto terrível” em grego;
  • A primeira ossada descoberta pertencia ao Megalossauro e só foi encontrada depois de 1820;
  • A galinha é o parente vivo mais próximo do Tiranossauro Rex;
  • Maior dinossauro: Argentinossauro;
  • Maior carnívoro: Giganotossauro;
  • Mais cabeçudo: Torossauro – sua cabeça media 2,8 metros de comprimento;
  • Mais pescoçudo: Mamenchissauro – seu pescoço media mais de 9,8 metros;
  • Menor cérebro: Estegossauro. Seu cérebro pesava 70 gramas e era do tamanho de uma noz;
  • Maior nome: Micropachycephalossauros;
  • Menor dinossauro: Oculudentavis khaungraae (tamanho semelhante ao beija-flor zumbidor)

Fonte: Han Zhixin/Divulgação

REFERÊNCIAS

GALVÃO, C. 13 curiosidades incríveis sobre dinossauros. MegaCurioso, 23 mar 2019. Disponível em: <https://www.megacurioso.com.br/dinossauros-e-fosseis/98956-13-curiosidades-incriveis-sobre-dinossauros.htm>. Acesso em: 18 abril 2020.

GODEFROIT, P.; CURRIE, P. J.; HONG, L.; YONG, S. C.; ZHI-MING, D. A new species of Velociraptor (Dinosauria: dromaeosauridae) from the upper cretaceous of northern china. Journal Of Vertebrate Paleontology, v. 28, n. 2, p. 432-438, 12 jun. 2008.

HUTCHINSON, J., R.; BATES, K., T.; MOLNAR, J.; ALLEN, V.; MAKOVICKY, P., J. A Computational Analysis of Limb and Body Dimensions in Tyrannosaurus rex with Implications for Locomotion, Ontogeny, and Growth. Plos One, v. 6, n. 10, 12 out. 2011. Public Library of Science (PLoS). http://dx.doi.org/10.1371/journal.pone.0026037.

KELLNER, A.; Como surgiram os dinossauros?. Ciência Hoje, 01 jan 2010. Disponível em: <https://cienciahoje.org.br/coluna/como-surgiram-os-dinossauros/>. Acesso em: 21 abril 2020.

NAISH, D. Ornithoscelida Rises: A New Family Tree for Dinosaurs. Scientific American, 22 mar 2017. Disponível em: <https://blogs.scientificamerican.com/tetrapod-zoology/ornithoscelida-rises-a-new-family-tree-for-dinosaurs/>. Acesso em: 18, abril 2020.

RENNE, P. R.; DEINO, A. L.; HILGEN, F. J.; KUIPER, K. F.; MARK, D. F.; MITCHELL, W. S.; MORGAN, L. E.; MUNDIL, R.; SMIT, J.. Time Scales of Critical Events Around the Cretaceous-Paleogene Boundary. Science, v. 339, n. 6120, p. 684-687, 7 fev. 2013. American Association for the Advancement of Science (AAAS). http://dx.doi.org/10.1126/science.1230492.

SILVEIRA, E. Dinossauros e companhia: a diversidade de animais do Brasil pré-histórico. BBC News Brasil, São Paulo, 17 ago 2019. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/geral-49301717>. Acesso em: 19 abril 2020.

VASCONCELOS, Y. Que tipos de dinossauros habitaram a Terra?. Superinteressante, 14 fev 2020. Disponível em: <https://super.abril.com.br/mundo-estranho/que-tipos-de-dinossauros-habitaram-a-terra/>. Acesso em: 20 abril 2020.

RINCON, Paul. Como é o menor dinossauro do mundo, encontrado em âmbar de 99 milhões de anos. BBC News, 13 mar 2020. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/geral-51860287>. Acesso em: 21 abril 2020.

PARA SABER MAIS

https://www.amnh.org/dinosaurs

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2017/12/8-documentarios-para-quem-curte-dinossauros.html