Animais: Aula 3 – Vertebrados fantásticos e onde habitam

Barbara Poletto

OBJETIVOS

Apresentar a história dos vertebrados, sua enorme diversidade e os principais grupos de espécies, bem como os diferentes habitats em que vivem. Ao final da aula, os alunos devem conseguir observar e comparar características entre diversos animais e relacionar algumas dessas características aos meios em que vivem.

MATERIAIS NECESSÁRIOS

Atividade 1 – Comparando as estruturas (imagem em anexo)

  1. Atividade em anexo;
  2. Canetinha ou lápis;
  3. Folha sulfite ou de caderno

Atividade 2 – Eu também sou vertebrado!

  1. Folha Sulfite ou de caderno
  2. Cola bastão ou líquida
  3. Lápis ou canetinha
  4. Palito de sorvete, fósforo, ou cotonete

RESUMO DA AULA

Comece a aula perguntando aos alunos se eles sabem o que são vertebrados, e quantos animais vertebrados eles conseguem reconhecer ou se lembrar. Insira uma breve introdução do assunto explicando a história dos vertebrados e as características gerais que os reúnem. Em seguida apresentar algumas principais espécies de vertebrados, sempre dando ênfase em algumas características que os relacionem com as características do ambiente onde vivem. 

ROTEIRO

1.O que são vertebrados?

 

 

Os vertebrados constituem um grupo extremamente diversificado que reúne peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos de acordo com suas características compartilhadas. Esses animais fazem parte filo dos cordados (animais que apresentam uma corda dorsal em pelo menos algum ponto de seu desenvolvimento), mas nem todo todo cordado é um animal vertebrado. 

2. Características gerais dos vertebrados

 

 

Os vertebrados no geral se caracterizam pela presença de uma coluna vertebral (que pode ser composta por cartilagem ou ossos) e de um crânio, mas outras características que também podem ser listadas são: presença de tubo digestivo completo, um sistema muscular (geralmente simétrico), sistema nervoso central formado pelo cérebro e pela medula espinal e esqueleto interno, que formam suas estruturas.

 

3. Surgimento dos vertebrados

 

Evidências fósseis mostraram que os vertebrados evoluíram num ambiente marinho há cerca de 500 milhões de anos, sendo, até então os primeiros registros fósseis dos vertebrados, representados por peixes sem maxilas que possuíam uma espécie de “armadura óssea” recobrindo diferentes partes do corpo. Apenas dois tipos de peixes sem maxila não foram extintos: As feiticeiras e lampreias. 

Figura 1. Representação de três peixes sem mandíbulas dos períodos Siluriano e Devoniano. Fonte: Princípios Integrados de Zoologia, 16ª ed (2016).

 

4. Diversidade dos vertebrados

 

Um ponto importante na história evolutiva dos vertebrados é o surgimento das maxilas, que permitiram esses seres a explorar novas fontes de alimentação. As feiticeiras e lampreias são os únicos seres de Craniata que não possuem maxilas. A falta de maxila representa uma condição ancestral primitiva entre os vertebrados.

A conquista do meio terrestre teve início com os anfíbios, os quais antecederam os répteis mais primitivos, seguindo-se duas grandes linhas de evolução, uma que deu origem às répteis e aves, e outra que originou os mamíferos.

Podem variar muito de tamanho e peso, desde pequenos peixes que quando adultos pesam apenas 0,1g, até baleias pesando cerca de 100.000kg.

Apesar da enorme diversidade de espécies  que temos ultimamente (cerca de 45.000 atualmente viventes), ela representa apenas uma parte de todos os vertebrados que já existiram no planeta, dos quais muitos já foram extintos.

 

Figura 2.  Diversidade dos vertebrados. As áreas no diagrama correspondem ao número aproximado de espécies atuais em cada grupo. Nomes comuns aparecem no interior do círculo interno e os nomes formais dos grupos estão nas partes externas do diagrama. Retirado do livro A Vida dos Vertebrados de F. Harvey Pough (2004)

 

5. Principais grupos de vertebrados

 

Peixes:

Por serem animais aquáticos, os peixes têm como características: pele coberta de escamas, respiração branquial (por brânquias), esqueleto ósseo ou cartilaginoso (mais flexível), podem apresentar nadadeiras e glândulas mucosas, e sua secreção mantém a superfície corporal lisa e facilita o deslocamento na água.

 

Figura 3. Ilustração de algumas espécies de peixes.  Fonte:Wikimedia Commons

Anfíbios: 

Vertebrados que transitam entre os ambientes aquáticos e terrestre, apresentam pele lisa e úmida. Os ovos são desenvolvidos na água, mas depois de adultos esses animais passam a viver na terra, sempre em locais mais úmidos.

O corpo dos anuros é capaz de sofrer modificações durante seu amadurecimento até a fase adulta (metamorfose). Em sua forma juvenil são chamados de girinos e possuem respiração branquial mas quando viram adultos, se transformam e passam a respirar pelos pulmões.

Figura 4. Da esquerda pra direita, de cima para baixo: Litoria phyllochroa (ordem Anura), Seymouria (anfíbio extinto), Notophthalmus viridescens (ordem Caudata) e Dermophis mexicanus (ordem Gymnophiona).  Fonte: Wikimedia Commons.

Répteis:

Dentre as principais características dos répteis estão: pele coberta de escamas mais rígidas ou carapaça. Apesar de alguns répteis viverem constantemente em corpos d’água para caçar suas presas, eles são terrestres e apresentam respiração pulmonar. 

 

Figura 5. Da esquerda pra direita, de cima para baixo: Chelonia mydas (ordem Testudinata), Sphenodon punctatus (ordem Sphenodontia), Agama sinaita (ordem Squamata) e Crocodylus niloticus (ordem Crocodylia) por Donald Mcauley. Fonte: Wikimedia Commons.

Aves:

A principal característica das aves é ter um corpo coberto por penas, possuem patas, bicos e asas. A respiração das aves também é realizada pelos pulmões. 

Muitas espécies são capazes de voar mas essa não é uma característica que contemple todas as espécies de aves.

Figura 6.  Da direita para esquerda. Linha 1: Tauraco erythrolophus, Balaeniceps rex, Phaethon lepturus; Linha 2: Haliaeetus pelagicus, Balearica regulorum, Pavo cristatus; Linha 3: Columba livia, Calypte anna, Fratercula arctica; Linha 4: Casuarius casuarius, Trichoglossus haematodus moluccanus, Phoenicopterus ruber; Linha 5: Pygoscelis papua, Ardea cinerea, Sula nebouxii; Linha 6: Minla strigula, Bubo bubo e Ramphastos sulfuratus. Wikimedia Commons.

Mamíferos:

A característica principal e que nomeia o grupo dos mamíferos é a presença de glândulas mamárias, fazendo com que as fêmeas produzam leite e alimentem seus filhotes. A maioria possui o corpo coberto de pelos que os ajudam numa melhor conservação de calor e sua respiração é pulmonar.

 

 

 

Figura 7. Diversidade dos Mamíferos. Fonte: Sheri Amsel.

VERIFICAÇÃO

Atividade 1 – Comparando as estruturas

Com a atividade impressa, circular de uma cor estruturas similares e de outra cor estruturas diferentes entre os animais (caso haja a impossibilidade de impressão da atividade, fazer uma lista nomeando as semelhanças entre os esqueletos e uma lista nomeando as diferenças)

Atividade 2 – Eu também sou vertebrado!

Em uma folha sulfite ou de caderno, cole palitos de sorvete, cotonetes ou fósforos para representar o esqueleto humano. Vale completar com desenho e utilizar qualquer outro objeto que os alunos tenham em casa, mas sempre com a supervisão de um adulto.

INFORMAÇÕES EXTRAS PARA O PROFESSOR(A) E PARA SABER MAIS

Informações extras e curiosidades que podem ser acrescentadas: 

Aprendendo com Videoaulas – Ciências: Animais Vertebrados para crianças

REFERÊNCIAS

HICKMAN, C. P.; KEEN, S. L.; ROBERTS, L. S.; EISENHOUR, D. J.; LARSON, A.; I’ANSON, H. Princípios Integrados de Zoologia. 16ª ed. Guanabara Koogan, 2016.

KARDONG, K. V.; Vertebrados – Anatomia Comparada, Função e Evolução. 7ª ed. Roca Didático, 2016. 

POUGH, F. H.; JANIS, C. M.; HEISER, J. B.; A vida dos vertebrados. 4ª ed. Atheneu, 2008.

VERTEBRADOS – UFPB Virtual. Disponível em: <http://portal.virtual.ufpb.br/biologia/novo_site/Biblioteca/Livro_4/4-Vetebrados.pdf>. Acesso em: 20, maio 2020.

 

ANEXO – Atividade 1 – Comparando as estruturas