Animais: Aula 2 – Domesticação

Isabella Gaião e Roberta Vincenzi

OBJETIVOS

Caracterizar os animais domésticos contrastando com animais silvestres, abordando o fato de que os animais domésticos coevoluiram com os seres humanos, de forma que as características que apresentam hoje são muito diferentes de seus ancestrais silvestres.

MATERIAIS NECESSÁRIOS (EM ANEXO)

  1. Imagens de animais em A4 
  2. Fita adesiva
  3. Gabarito da filogenia 

RESUMO DA AULA

Essa aula irá caracterizar os animais domésticos fazendo comparações com seus ancestrais selvagens. Abordamos também o fato de que os animais domésticos coevoluiram com os seres humanos, de forma que as características que apresentam hoje são muito diferentes de seus ancestrais silvestres, devido à essa pressão seletiva.

ROTEIRO

  1. Iniciar a aula explorando a relação que os alunos têm com animais domésticos. Sugerimos perguntas como: 
  • Quem aqui tem um animal em casa?
  • Como ele é? Quem cuida dele?
  • Ele fica dentro ou fora da casa?
  • Quais são os animais que chamamos de domésticos?

Conforme os alunos forem compartilhando o que entendem por animais domésticos, os oficineiros devem anotar na lousa alguns dos animais mencionados. Procure mostrar que existem outros animais domésticos além de gatos e cachorros. Mencione que existem outros menos comuns, principalmente no meio urbano, como galinhas, vacas, porcos, cavalos, etc.

2. Pegar, dentre todos os animais da lousa, o exemplo da domesticação dos cachorros. Colocar na lousa a imagem do lobo cinzento e do cão doméstico. Pedir para os alunos compararem as semelhanças e diferenças entre eles. Direcionar as respostas para a teoria da síndrome da domesticação, ressaltando características dos pets como diminuição do tamanho do crânio, do comprimento do focinho, do tamanho dos membros e dos dentes, orelhas caídas, diminuição do volume total do cérebro, mudanças na coloração (com uma grande tendência ao aparecimento de manchas brancas e padrões de coloração malhada).

3. Explicar que essas semelhanças com os lobos se deve ao fato de que eles são os ancestrais dos cachorros e as diferenças se devem aos comportamentos/características mais vantajosa (ou preferida) pelos seres humanos.

4. Montar filogenia do lobo ao cão doméstico na lousa com as imagens dos animais, de acordo com o gabarito. Explicar que assim como ocorreu com os cachorros, os demais animais hoje domesticados também possuem um ancestral selvagem que foi tendo características selecionadas pelo homem.

VERIFICAÇÃO

Etapas para verificar o entendimento dos alunos

Ao final, peça para os alunos desenharem seus pets favoritos e descreverem as características mais marcantes (cor, tamanho, orelhas, etc). Comparar com os outros pets de mesma espécies e ressaltar as diferenças e semelhanças.

INFORMAÇÕES EXTRAS PARA O(A) PROFESSOR(A) 

Quando estiver tratando da filogenia, lembrar de ressaltar o que é um ancestral e dizer que no passado alguns lobos foram se “modificando” tomando formas dos atuais cachorros que conhecemos. Assim apareceu as linhagens atuais dos cachorros domésticos. Essas modificações foram sendo selecionadas pelos seres humanos de acordo com seus interesses. Ressaltar, também, que esse processo de domesticação durou muitos anos e teve seu início a cerca de 12.000 anos atrás.

REFERÊNCIAS

Vigne, Jean-Denis (2011-3). The origins of animal domestication and husbandry: A major change in the history of humanity and the biosphere. Comptes Rendus Biologies. 334 (3): 171–181. doi:10.1016/j.crvi.2010.12.009

PARA SABER MAIS

https://www.youtube.com/watch?v=5pO6FFV-NoE

https://pt.wikipedia.org/wiki/Domestica%C3%A7%C3%A3o#S%C3%ADndrome_de_domestica%C3%A7%C3%A3o

 

Figura 1. Silhueta de Canis familiaris, representando o ancestral comum a todas as raças de cachorro.

Figura 2. Cachorro da raça Husky Siberiano.

Figura 3. Cachorro da raça Poodle.

Figura 4. Cachorro da raça Dachshund.

Figura 5. Gabarito da atividade.